O acirramento das contradições no Império uma entrevista com Leo Panitch

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ana Garcia
Débora Gaspar
Filipe Mendonça

Resumo

Esta entrevista – promovida pela rede Relações Internacionais e Marxismo (RIMA), em parceria com o Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio e o podcast Chutando a Escada - foi realizada em 6 de novembro de 2020, após a eleição presidencial americana, que foi considerada a mais importante das últimas décadas. Panitch soube celebrar a derrota eleitoral de Trump, tendo em mente os limites da vitória de Joe Biden, tanto em termos do contínuo (e contraditório) papel imperial dos EUA, quanto em termos da possibilidade de superar a decadência social interna vivida pela classe trabalhadora estadunidense. Ele nos adverte que a tentativa de restauração da hegemonia ideológica do império informal, por uma presidência democrata, não será uma tarefa fácil. Ele também nos ajuda a enxergar além da superfície desses processos, olhando para o potencial de algumas das forças sociais de esquerda, trazidas pelas mesmas contradições que tornaram possível o Trumpismo, ajudando-nos a buscar a esperança para além do caos mais visível. Interessado e profundamente informado sobre a situação política no Brasil, Panitch foi capaz de enquadrá-la nos termos de sua análise, mas sempre nos convidando e estimulando a desenvolver nosso próprio entendimento sobre nossas singularidades. Suas análises sempre mostraram o cuidado para conter alarmismos, evitar conclusões rápidas, e buscar sobriedade e lucidez.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Luta e Memória