David Harvey: mercadoria, capital, capital de empréstimo e capital fictício Notas Críticas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Paulo Henrique Furtado de Araujo

Resumo

O artigo apresenta criticamente a compreensão de David Harvey sobre a obra O capital de Marx, destacando, em particular, a forma como o autor trata das categorias mercadoria, capital, capital de empréstimo e capital fictício. Ressalta que Harvey atribui a Marx a construção de um modelo gnosiológico sem compreender que Marx instaura uma ontologia materialista do ser social. Além disso Harvey, ao não perceber que valor é uma forma de mediação social produtora de fetiche, acaba por alternar seu entendimento de fetiche como algo próprio do mundo do capital e algo de falsa consciência ou engano sobre o mundo real. Por fim, ao tratar de capital de empréstimo e capital fictício e utilizar aquele enquadramento de modelo e essa compreensão de fetiche, termina por não apreender adequadamente o capital fictício e identificar uma insuficiência explicativa no suposto modelo de Marx.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Paulo Henrique Furtado de Araujo, UFF, Brasil

Professor Adjunto da Faculdade de Economia da UFF. Área: Pensamento Econômico/Economia Política.

Referências

ARAUJO, P.H.F. – As Categorias Classes Sociais e Estado no Livro Primeiro de O Capital. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, v. 56, p. 21-47, 2020a.

_________________ – Notas Críticas à compreensão de Lênin sobre o Estado: revisitando O Estado e a Revolução. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, v. 50, p. 114-141, 2018.
_______________ – Marx: Capital, Estado e política: notas. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, v. 43, p. 37-62, 2016.
BASHKAR, R. Reclaiming Reality: a critical introduction to contemporary philosophy. London: Verso, 1989.

CHASIN, J. Marx: Estatuto Ontológico e Resolução Metodológica, São Paulo: Boitempo, 2009, 253p.

DUAYER, M.; ARAUJO, P.H.F. – As Desventuras do Marxismo Tradicional: Notas sobre a polêmica Harvey-Roberts, Revista Outubro, v. 34, p. 63-88, 2020a.
____________ – Trabalho Abstrato, Objetivação, Alienação, Fetiche ? Marx lido por Postone. In: XXV Encontro Nacional de Economia Política, 2020b, Salvador. Anais do XV Encontro Nacional de Economia Política. Salvador: EdUFBA, 2020. v. 1. p. 1-27.

___________ – Valor como forma de mediação social: interpretação de Marx a partir de Postone. In: XXIV Encontro Nacional de Economia Política, 2019, Vitória. Anais do XXIV Encontro Nacional de Economia Política. Vitória: Editora da Universidade Federal do Espírito Santo, 2019. v. 1. p. 1-25.


HARVEY, David – Para entender O Capital: Livro I; São Paulo: Boitempo, 2013, 335p.

______________ – Para entender O Capital: Livro II e III; São Paulo: Boitempo, 2014, 385p.

LUKÁCS, G. – Para uma ontologia do ser social, vol. 1; São Paulo: Boitempo, 2012, 431p.

_____________ – Para uma ontologia do ser social II, São Paulo: Boitempo, 2013, 845p.

MARX, Karl Heinrich. – Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011. 788p.

________________ – O Capital: Crítica da Economia Política: Livro I: O Processo de Produção do Capital; São Paulo: Boitempo, 2013, 894p.

_____________ – O Capital: Crítica da Economia Política: Livro III: O Processo Global da Produção Capitalista. Tomo 1 (Parte Primeira), [Coleção Os Economistas – Volume IV], São Paulo: Nova Cultural, 1986a, 353p.

_____________ – O Capital: Crítica da Economia Política: Livro III: O Processo Global da Produção Capitalista. Tomo 2 (Parte Segunda), [Coleção Os Economistas – Volume IV], São Paulo: Nova Cultural, 1986b, 336p.

POSTONE, M. – Tempo, Trabalho e Dominação Social. São Paulo: Boitempo, 2014, 486p.