Contribuições da Teoria da Reprodução Social para o Debate Contemporâneo sobre as Opressões

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rhaysa Fonseca

Resumo

Este artigo apresenta uma breve reconstrução da história e do que considera as principais contribuições da Teoria da Reprodução Social (TRS) para o debate contemporâneo sobre as múltiplas relações de opressão – como gênero, raça e classe – no capitalismo. Embora a perspectiva feminista-marxista da reprodução social tenha uma história mais antiga, por TRS compreende-se o recém-formado campo de diálogo liderado por Tithi Bhattacharya, e pelas autoras que subscrevem o manifesto internacionalista Feminismo para os 99%, publicado no Brasil em março de 2019. Este conforma hoje um dos setores mais pulsantes e críticos do movimento feminista mundial, e tem em seu centro o objetivo de desenvolver uma compreensão unitária das relações de opressão, exploração e alienação que compõem a realidade social no mundo em que vivemos. Tal compreensão tem em seu centro um resgate da noção de totalidade social tal qual desenvolvida por Karl Marx nos Grundrisse.  

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos