Economia de Trocas de Presentes

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

João Bernardo

Resumo

Ao classificar a troca de presentes como «sistème des prestations totales», Marcel Mauss, em estudo clássico, estava a lançar a fundação do que poderá ser a definição de um vasto modo de produção prévio ao capitalismo. Dediquei ao tema o primeiro dos três volumes de Poder e Dinheiro, procurando estabelecer as regras do sistema de troca de presentes vigente no contexto da sociedade senhorial medieval europeia. Neste artigo, retomo o mesmo quadro de análise, ampliando-o a outras sociedades, épocas e até a tipos de organização econômica aparentemente distintos. A troca de presentes regeu tanto sociedades praticamente desprovidas de Estado como outras em que as instituições políticas adquiriram um elevadíssimo grau de autonomia, viabilizando o desenvolvimento tanto da forma de exploração assente em relações de tipo servil como outras em que prevalecia a independência camponesa. Permitindo inserir todas estas situações diferentes num quadro explicativo único, o modelo da troca de presentes aparece com o carácter de generalidade, e ao mesmo tempo de operacionalidade conceptual, que se requer à teoria de um modo de produção.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos