A Teoria Marxista das Crises Cíclicas de Superprodução uma modificação da interpretação Mendonça-Ribeiro

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Antonio Carneiro de Almeida Júnior

Resumo

O presente artigo constitui uma proposta de modificação da interpretação Mendonça-Ribeiro da Teoria Marxista das Crises Cíclicas de Superprodução no intuito de aumentar a sua capacidade de explicação do fenômeno crise. Aqui se analisa o processo de desenvolvimento do referido fenômeno do ponto de vista lógico. Em relação aos trabalhos de Mendonça e Ribeiro, a análise avança principalmente na identificação dos saltos qualitativos do processo de desenvolvimento supracitado. Por fim, o presente trabalho entra em desacordo com os trabalhos dos autores no que tange à identificação da contradição fundamental causadora da crise, uma vez que identifica como causa da crise a contradição entre o impulso ao desenvolvimento ilimitado das forças produtivas e as relações de produção antagônicas do capitalismo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Antonio Carneiro de Almeida Júnior, Universidade Federal do Paraná

Doutor e Mestre em Desenvolvimento Econômico pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico da Universidade Federal do Paraná, PPGDE/UFPR, e Balcharel em Economia pela Universidade Federal da Paraíba, UFPB. Pesquisador nas áreas Ciclos Econômicos, Economia Brasileira, Socialismo Soviético e Velocidade de Rotação do Capital.

Referências

ARTHUR, C. J. The Myth of ‘Simple Commodity Production’. In: http://marxmyths.org/chris-arthur/article2.htm, 2005;

CARCANHOLO, M. D. Causas e Formas de Manifestação da Crise: uma interpretação do debate marxista. Dissertação (Mestrado em Economia) – Faculdade de Economia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1996;

CASTELLS, M. La Teoría Marxista de las Crisis y las Transformaciones del Capitalismo. México: Siglo XXI, 1978;

CIPOLLA, F. P.. A Evolução da Teoria da Crise de Superprodução na Obra Econômica de Marx. Critica Marxista (São Paulo), v. 37, p. 67-90, 2013;

CIPOLLA, F. P.. Diverse Teorie Marxiste Sulla Crisi e Diverse Interpretazioni della Crisi Attuale. Countdown, v. I, p. 65-84, 2014;

COGOY, M.; SWEEZY, P. Teoria da Acumulação Capitalista. Porto: Publicações Escorpião, 1977;

HILFERDING, R. O Capital Financeiro. São Paulo: Nova Cultural, 1985;

LEBOWITZ, M. A. Marx’s Falling Rate of Profit: a dialectical view. Canadian Journal of Economics, v. 9, n. 2, p. 232-254, mai 1976;

LENIN, V. I. Collected Works. 1.ed. V. 2. Moscow: Progress Publishers, 1972;

LUXEMBURGO, R. A Acumulação do Capital: contribuição ao estudo econômico do imperialismo. São Paulo: Nova Cultural, 1985;

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858 esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boi e Tempo Editorial, 2011;

MARX, Karl. Grundrisse: foundations of the critique of political economy: rough draft. Harmondsworth: Penguin, 1993;

MARX, K. O Capital. 2.ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985;

MARX, K. Teorias da Mais-valia: história crítica do pensamento econômico. 1.ed. São Paulo: Difel, 1980;

MENDONÇA, A. A Crise Econômica e sua Forma Contemporânea. Lisboa: Editorial Caminho S.A., 1990;
MENDONÇA, A.; RIBEIRO, N. R. O Marxismo e a Crise Econômica Actual. In: BRANCO, J. F. O Marxismo no Limiar dos Anos 2.000. Lisboa: Editora Caminho S.A.R.L., 1985. p. 33-100;

MOSZKOWSKA, N. Contribución a la Crítica de las Teorías Modernas de las Crisis. México: Ediciones Pasado y Presente, 1978;

RIBEIRO, N. R. A Acumulação do Capital no Brasil: expansão e crise. 668 f. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto Superior de Economia, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 1988;

RIBEIRO, N. R. A Crise Econômica: uma visão marxista. 1.ed. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2008;

RIBEIRO, N. R. A crise econômica: conteúdo e formas de manifestação. In: RIBEIRO, E. G. (Org.). Globalização, competitividade e crise. 2 Ed. João Pessoa: Editora universitária/UFPB, 2002;

RIBEIRO, N. R. Da Crise às Flutuações: ciência ou ideologia?. Texto para Discussão. João Pessoa: Mestrado de Economia, 2.000;

ROMO, H. G. Lecciones de Economía Marxista. México: Fondo de Cultura Económica, 1988;

ROSENTAL, M. M.; STRAKS, G. M. Categorias del Materialismo Dialectico. 1.ed. México, D. F: Editorial Grijalbo, S.A., 1958;

SHAIKH, A. An Introduction to the History of Crisis Theory. In: UNION OF RADICAL POLITICAL ECONOMISTS STAFF, U. S. Capitalism in Crisis. Amherst: URPE Monthly Review Press, 1978a;

SHAIKH, A. Political Economy and Capitalism: notes on Dobb’s theory of crisis. Cambridge Journal of Economics. Oxford: v. 2, n. 2, p. 233-251, jun 1978b;

STEINDL, J. Madurez y Estancamiento em el Capitalismo Norteamericano. México: Siglo XXI, 1979;

STRACHEY, J. Natureza de las Crisis. México: Ediciones El Caballito, 1973;

SWEEZY, P. M. Teoria del Desarrollo Capitalista. 13 ed. México: Fondo de Cultura Económica, 1987.