A crítica da política e do Estado de Marx a partir das Glosas críticas ao artigo "O rei da Prússia e a reforma social. De um Prussiano"

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

José luiz Alcantara Filho

Resumo

A contribuição teórica de Marx é marcada por dois momentos. Primeiramente, o autor dedica-se à crítica da filosofia alemã. Isso ocorre entre 1843-1846, e concretiza-se com A ideologia alemã. O segundo momento refere-se à crítica da economia política. Iniciados em 1844, esses estudos são amadurecidos até a publicação d'O Capital, em 1867. Este trabalho visa analisar a crítica marxiana às visões hegelianas acerca da filosofia, da política e do Estado, a partir do artigo Glosas críticas ao artigo "O rei da Prússia e a reforma social. De um Prussiano", quando aparecem, pela primeira vez, referências a economistas políticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos

Referências

COTRIM, L. Nova Gazeta Renana. São Paulo: EDUC (PUC-SP), 2010.
FREDERICO, C. O jovem Marx. 1843 – 1844: as origens da ontologia do ser social. São Paulo: Expressão Popular, 2009.
GRAMSCI, A. "A revolução contra O capital", Avanti, edição milanesa, 1917. Disponível em: .
IAMAMOTO, M. V. Trabalho e indivíduo social. São Paulo: Editora Cortez, 2012.
LÊNIN, V. O Estado e a revolução. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2010.
LIMA, R. A. Estado e capitalismo: A teoria do Poder Global e a perspectiva marxiana. Dissertação de Mestrado. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2010.
LÖWY. M. Prefácio. In: MARX, K. e ENGELS. Lutas de classes na Alemanha. São Paulo: Editora Boitempo, 2010.
________. A teoria da revolução no jovem Marx. São Paulo: Editora Boitempo, 2012.
LUXEMBURGO, R. Reforma ou revolução? São Paulo: Editora Expressão Popular, 2001.
MARX, K. & ENGELS, F. A Ideologia Alemã. São Paulo: Editora Boitempo, 2007.
________. Manifesto Comunista. São Paulo: Editora Boitempo, 2014.
MARX, K. "Salário, preço e lucro." In: MARX, K. Os economistas. São Paulo: Abril Cultural, 1983.
________. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Editora Boitempo, 2005.
________. Manuscritos Econômico-Filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2006.
________. Sobre a questão judaica. São Paulo: Editora Boitempo, 2010a.
________. "Glosas críticas ao Artigo 'O rei da Prússia e a reforma social, De um Pussiano'". In: MARX, K. & ENGELS. Lutas de classes na Alemanha. São Paulo: Editora Boitempo, 2010b.
________. Glosas críticas marginais ao Artigo "O rei da Prússia e a reforma social, De um Pussiano". São Paulo: Editora Expressão Popular, 2010c.
________. Crítica ao Programa de Gotha. São Paulo: Editora Boitempo, 2012.
________. O Capital. Livro I. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.
________. Cadernos de Paris e manuscritos econômico-filosóficos de 1844. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2015.
PRZEWORSKI, A. Capitalismo e social-democracia. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1989.
SANTOS, C. Reforma/Revolução – Pólos de Tensão na Constituição do Movimento Socialista. Tese de Doutorado. São Paulo: PUC/SP, 1998.
TOMASI DI LAMPEDUSA, G. O leopardo. Editora Bertrand, 2014. (versão digital). Disponível em: .
TROTTA, W. "A liberdade como império da lei: um estudo a partir da Filosofia do direito de Hegel", Revista Achegas.net, Rio de Janeiro, v. 09, 2003.