Uma crítica ontológica ao “estado estacionário” de Herman Daly a Economia Ecológica como Economia Ambiental travestida

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Eduardo Sá Barreto

Resumo

No artigo, busca-se elaborar uma crítica ontológica à concepção de estado estacionário, tal como avançada por um dos principais expoentes da Economia Ecológica, Herman Daly. Para isso, serão confrontados também outros aspectos centrais dessa importante corrente de pensamento ambiental, como o de escala ótima, crescimento antieconômico, crescimento qualitativo e a ideia de mundo cheio. Isso permitirá demonstrar que, a despeito de seus pontos de partida razoavelmente distintos, Economia Ecológica e Economia Ambiental compartilham uma mesma ontologia e, por isso, projetam uma imagem em quase tudo semelhante do que seria, ou deveria ser, uma sociedade sustentável.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos

Referências

DALY, Herman. Beyond Growth: The Economics of Sustainable Development. Bostom: Beacon Press, 1996.
DALY, Herman. Ecological Economics and Sustainable Development: Selected Essays. Northampton: Edward Elgar Publishing, 2007.
DALY, Herman; FARLEY, Joshua. Ecological economics: principles and aplications. Washington: Island Press, 2010.
LUKÁCS, Gyorgy. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo, 2012.
MARX, Karl. O Capital: livro I. São Paulo: Boitempo, 2013[1867].
MARX, Karl. O Capital: livro II. São Paulo: Boitempo, 2015[1885].
MARX, Karl. Grudrisse. São Paulo: Boitempo, 2011[1857-58].
MEADOWS, Donella; RANDERS, Jorgen; MEADOWS, Dennis. Limits to growth: the 30-year update. Londres: Earthscan, 2005.
[autor omitido], 2013.
[autor omitido], 2018.
[autor omitido], 2016.
[autor omitido], 2015.
[autor omitido], 2014.