Capitalismo em tempos de uberização: do emprego ao trabalho

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Virgínia Fontes

Resumo

Análise de alguns sentidos históricos das relações de trabalho contemporâneas, criticando duas falsas evidências contemporâneas: a de que trabalho se reduziria a emprego; e de que seria supérfluo no capitalismo atual. O artigo assinala um novo papel do Estado capitalista, deslocado de papel complementar à reprodução da força de trabalho para o de contenção de massa crescente de trabalhadores com direitos expropriados, anteriormente associados ao contrato de trabalho. A extrema concentração da propriedade capitalista – a dos recursos sociais de produção – contraposta a trabalhadores desprovidos de direitos é exemplificada pela empresa Uber. Além de ausência de direitos (desemprego) e de jornadas ilimitadas, ocorre uma centralização direta e internacional do comando capitalista sobre os trabalhadores, acoplada à extrema descentralização do processo de trabalho. Finalmente, aborda o papel das entidades empresariais sem fins lucrativos na expropriação de direitos de massas crescentes de trabalhadores.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Virgínia Fontes, Pós-Graduação de História-UFF, Programa de Pós-Graduação da EPSJV-Fiocruz

Historiadora. Docente na Pós-Graduação de História-UFF, Programa de Pós-Graduação da EPSJV-Fiocruz, docente da Escola Nacional Florestan Fernandes-MST e integrante do NIEP-Marx/UFF.