Cereais e Estado

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

João Bernardo

Resumo

Nem sempre o desenvolvimento da agricultura teve como suporte o cultivo de cereais. A emergência do Crescente Fértil (Mesopotâmia, Palestina e Egito), com as cidades-estados e os primeiros impérios, constituiu apenas um dos resultados da domesticação de plantas. O processo de domesticação, abrangendo uma área muitíssimo vasta e cobrindo um período muitíssimo longo, incluiu também outros tipos de vegetais. Assim, houve áreas onde não se desenvolveu o cultivo de cereais, mas de outros tipos de plantas, o que levanta duas questões. Em primeiro lugar, por que esta diferença? Em segundo lugar, por que razão acabaram por se tornar preponderantes os cereais? Nossa hipótese relaciona, historicamente, o cultivo de cereais e a formação de Estados, quando a classe que progressivamente se afirmava como dominante orientou a seleção das plantas a domesticar, favorecendo as que mais duravelmente se pudessem conservar, criando as bases para a sua reprodução e para a reprodução alargada da diferenciação social.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

João Bernardo